Adotar é amor

Adotar é amor

Na última segunda (25) foi Dia Nacional da Adoção, sabia?

Não sei se todos que acompanham o blog sabem, mas sou filha adotiva e adoro falar sobre isso, inclusive tem um tópico especial sobre no meu instagram @negraecrespa e quero trazer esse tema mais para cá também.

#VÍDEO: Bate-papo sobre Adoção

No decorrer desse post vou explicar um pouquinho da situação de adoção no Brasil, certo?

Para fins legais, adoção é o ato jurídico no qual um indivíduo é permanentemente assumido como filho por uma pessoa ou por um casal que não são seus pais biológicos. Para mim, é um dos maiores atos de amor.

Atualmente são 5 mil crianças aptas para serem adotadas no Brasil. O que surpreende é que o número de casais dispostos a adotar é muito superior, aproximadamente 7 vezes maior. Essa conta não fecha justamente pelo perfil determinado pelos adotantes.

Segundo dados do Cadastro Nacional de Adoção, a maioria deles busca por crianças bem pequenas ou recém-nascidas, com idade máxima de três anos, brancas e saudáveis, preferencialmente meninas.

No entanto, a maioria das crianças e adolescentes disponíveis tem o seguinte perfil: menino de 14 anos, negro e com um irmão também em situação de adoção.

 

Eu tenho uma experiência extremamente positiva com adoção. Eu sou filha adotiva e minha irmã mais nova também. Amo saber de histórias de adoção, me faz bem e acredito que elas atingem as pessoas de forma agradável e inspiram esperança.