Polêmica atrás de polêmica.

Meu objetivo não é dar ibope a uma suposta “opinião” completa de racismo, preconceito e desconhecimento que ocorreu há alguns dias atrás. Não vou aqui julgar alguém que nem tem noção do que diz, muito menos uma revista que está acostumada a espalhar discursos carregados de preconceito (e uma hora terá que parar!!!). Eu quero falar do lado bom dessa história, da mobilização de muita gente para defender o que não deveria precisar de defesa. A mulher do “cabelo ruim” (que de ruim não tem absolutamente NADA), de cabelo crespo, a mulher com trança, a mulher dona de si e que tem o cabelo livre para fazer o que bem entender.

Esse post é para celebrar essas mulheres (e homens!) e mostrar a beleza delas.

Lembro quando eu era pequena e cheguei a fazer tranças, eu tinha uns 12 anos e passei uma semana feliz da vida! Como era com cabelo natural e demorou para fazer, não repeti. Mas tenho curiosidade. Depois das fotos que selecionei para colocar nesse post, a vontade veio com força total. Talvez eu faça em breve.

As tranças, além de ser uma questão de estilo, personalidade e mudança de visual. É um escape para quem está em transição capilar. A quem diga que o cabelo cresce mais rápido, mas não há comprovação. Mas a certeza é que ajuda muito nessa fase, principalmente para não precisar conviver com a fase mais complicada dessa transição que é estar com duas texturas muito diferentes no cabelo (parte lisa e cacheada/crespa).

Hoje em dia não é mais tão comum tranças com o próprio cabelo. Procurando fotos de inspirações, percebi que estão sendo usadas muitas tranças box braids, nagô. Que são aquelas que são com cabelo sintético e o resultado fica massa!

A seguir, algumas fotos dessas mulheres (entre celebridades e leitoras 💚) maravilhosas que aderiram as tranças para dar um toque lindo no visual.

Trança vale em qualquer idade, qualquer cor, qualquer tamanho. Que seja livre! Clique em cada foto para ampliá-la.

“Qual foi o idiota que concluiu que meu cabelo é ruim? Qual foi o otário equivocado que decidiu estar errado o meu cabelo enrolado? Ruim pra quê? Ruim pra quem? Infeliz do povo que não sabe de onde vem.”

Trecho de Milionário do Sonho, poema já comentado em post anterior (clique aqui para rever).

Grande beijo,

Duda @negraecrespa

Que o Brasil teve uma ascensão forte da cultura negra nos últimos anos, não tem como negar. É muito bom ver que a consciência das raízes afros se fortaleceu tanto. De crianças a idosos. E tem muita gente fazendo isso acontecer!

Um dos campos que está ajudando nesse crescimento é a área da moda de pequenos empreendedores com foco no empoderamento, nas raízes, na aceitação do cabelo natural, etc.

Por sorte e competência desses empreendedores, temos muitas marcas por aí e vou citar algumas que conheço:

E essa pequena lista é realmente uma mínima amostra de todo esse movimento legal que está rolando. É gratificante ver isso se espalhando. A personalidade é algo que também “se veste” e assim ganhamos oportunidade de usar o que queremos dizer sem nem precisar abrir a boca :), além de que a moda é linda, colorida, alto astral e só transmite coisas boas e uma força gigante!

Todos da lista acima estão com link clicável para o site oficial correspondente, as fotos foram tiradas das redes oficias das lojas.

E… surpresa!!! A Agridoce Camisas está com desconto de 15% para os leitores/seguidores. Basta usar o código CRESPA15, aproveite: www.agridocecamisas.com.br!

Desconto Agridoce

É isso, gostaram? Tem alguma loja para indicar? Me conte nos comentários ou nas redes #negrasecrespas!

Grande beijo,

Duda @negraecrespa

Aconteceu outro evento de empoderamento crespo no Brooklyn, NY – EUA no último sábado de agosto, o CURLFEST.

Curl FestDia 29, aconteceu a segunda edição do evento que foi um encontro de cabelos Afros, Twist-Outs (cabelo com twist), Cachos (e Barbas!). Embalado por uma trilha sonora de música chill (relaxante) e muita energia positiva. O objetivo maior do evento é espalhar o amor a maneira de Brooklyn na celebração de todas as coisas naturalmente bonitas. E claro, conhecer gente na mesma vibe.

Reuniram-se lá muitos apoiadores do cabelo natural, para promover auto estima, e combater preconceito que levam ao “auto-ódio”. Para disseminar esta mensagem, o evento contou com uma equipe de blogueiros e formadores de opinião em um grande piquenique com bate-papo sobre temas como: fazer as crianças amarem seus cabelos naturais e como deixar o cabelo naturalmente bonito.

Foi mais um evento de desfile de cor, empoderamento, beleza e alegria.

Sobre o CurlFest 2015, fiz uma seleção com muitas fotos lindas para vocês: (é só clicar na foto para vê-la maior!)

*Todas as fotos estão no Facebook Curly Girl Collective – (organizadoras do Curl Fest).

(Em agosto ocorreu o evento AFROPUNK FEST também, confira mais sobre ele clicando aqui).

Para ver mais fotos do evento, a tag é #CurlFest ou confira nas redes do evento.

ícone CurlGirlO site do evento é: http://curlfest.splashthat.com/ e das organizadoras: http://www.curlygirlcollective.com/ | Inst: @CurlyGirlCollective | Face: /CurlyGirlCollective

Grande beijo,

Duda @negraecrespa

NÓS: “Campanha social para inspirar e valorizar o uso do cabelo crespo sem criar esteriótipos. Relacionando o contexto histórico do corpo negro e sua identidade.”

Em resumo, o NÓS são essas duas frases aí em cima. Como eles mesmo se definem. Mas é muito mais que isso! É um projeto belíssimo que veio agregar a esse movimento nacional de empoderamento negro que vem aflorando nos últimos anos. Não só do cabelo crespo, mas com a identidade, história, luta e força do homem e da mulher negros. O projeto visa passar os conceitos como o preconceito, racismo, identidade, empoderamento adulto/infantil e o feminismo negro.

O nome “NÓS” além de fazer referência ao próprio cabelo crespo/cacheado, também faz alusão às vivências complicadas de quem os têm.

A principal forma de divulgação do projeto é a parte mais interessante. Além das redes sociais, foram criados diversos “lambe lambe” para serem colados nas ruas com frases curtas de reflexão da vivência negra. Achei genial! Imprimi alguns e pretendo fazer quadrinhos e colocar no meu quarto, porque além de ter uma grande importância, são lindos!905799_904677036260641_2605407001032905019_o

As mentes por trás desse projeto são: a Jéssica Pinheiro e a Stefaniny Ratto, duas jovens publicitárias mineiras de BH.

Com o sucesso do projeto (poucos meses de projeto e mais de 3 mil curtidas no facebook!!!), as meninas agora também fazem palestras principalmente em escolas públicas sobre o cabelo crespo com relação histórica, política e social (quero muito participar de alguma!).

O projeto não tem fins lucrativos. Qualquer um pode participar, para saber como, é só dar uma olhadinha nas redes do projeto.Os endereços de contato estão no final desse post.

Veja alguns deles:

Não me vejo na TV O que é ser negro? Por que meu cabelo é "ruim"? O que são nós para você? Por que tenho que viver no padrão? Qual é a sua identidade?

Para conhecer mais o projeto ou entrar em contato: http://facebook.com/nosdocabelo e http://instagram.com/nosdocabelo

Os “Lambe lambe” podem ser baixados nesse link: https://www.pinterest.com/nosdocabelo

Grande beijo, Duda @negraecrespa

AfroPunk Festival é um festival de música anual. Foi realizado no último final de semana no Brooklyn, Nova York. Suas performances são conhecidas principalmente por refletir a cultura Africano-Americana com uma variedade de gêneros. Atrações desse ano:

Atrações Afropunk Fest 15

Nesse festival acontece um desfile de cores, através das roupas, cabelos, acessórios e uma vibe boa demais!

Confiram abaixo meus 18 looks e fotos preferidas (foi MUITO difícil mesmo escolher!). É muita flor, estampa, penteado e principalmente: CRIATIVIDADE. Que lugar de gente lindaaa 😍

*Para ver a foto grande e saber a fonte é só clicar nela.

Dica: coloque a hashtag #AfroPunk no Instagram e recebam essa beleza toda em seus olhos!

Para terminar um vídeo rápido de algumas fotos da maravilhosa Driely S., fotógrafa brasileira e responsável por algumas fotos que coloquei por aqui.

https://instagram.com/p/6yofoxEYIO/

Grande beijo,

Duda @negraecrespa