É, quase não deu pra sentir falta das rainhas Rihanna e Beyoncé nesse Grammy depois de tantas performances incríveis e prêmios maravilhosos.

Desde as nomeações, já víamos que a hegemonia masculina e branca não era predominante, como na categoria Videoclipe do Ano, por exemplo, em que todos eram negros e metade de mulheres.

Me surpreendi positivamente com a força feminina presente na premiação toda, muito por causa da anfitriã e vencedora de 15 Grammys, Alicia Keys, escolhida a dedo para passar toda a energia radiante dela e de suas “manas”, modo de fazer referência a todas as colegas artistas presentes ❤ Alicia toda doce, positiva e exalando talento não só apresentou a premiação, como foi responsável por revelar os dois grandes vencedores da noite (Gravação do Ano e Álbum do ano) e ainda fez uma das performances mais impecáveis, tocando DOIS pianos e com um medley de músicas que ela gostaria de ter escrito.

Mas a noite iniciou com 5 mulheres poderosíssimas no palco, além de Alicia, estava Michele Obama, Lady Gaga, Jennifer Lopez e Jada Smith para falar da música em suas vidas e como essa relação as fazem melhor.

O grande vencedor foi Gambino com a música This is America, que fala de violência policial e racismo em um momento tão delicado nos Estados Unidos (saiba curiosidades sobre o clipe aqui). A canção ganhou Gravação do Ano, Melhor Clipe, Melhor Música e Melhor Colaboração de Rap.

A noite teve diversas apresentações, entre elas de Camila Cabello; de Miley Cyrus; da Lady Gaga, uma homenagem à Dolly Parton com Miley Cyrus, Katy Perry, Kacey Musgraves, Linda Perry e Big Little Town; de Janelle Monaé; de H.E.R; de Diana Ross, um tributo com vozes poderosíssimas de Andra Day, Yolanda Adams e Fantasia à Aretha Franklin; solo da Kacey Musgraves; de Cardi B; da Jennifer Lopez em uma homenagem a Motown; de Dua Lipa e St. Vincent; da dupla Chloe e Halle.

Dentre os vencedores, além de Gambino, temos The Carters (Bey e Jay-Z), Lady Gaga, Dua Lipa, Kacey Musgraves, Drake, Cardi B, H.E.R, Ariana Grande e a trilha sonora de Pantera Negra.

WOMAN & BLACK POWER senhoras e senhores!

Olá, lindezas!

A Marta, nossa rainha do futebol, é a nova embaixadora da ONU Mulheres! Marta vai trabalhar a favor da igualdade de gênero no mundo do esporte.

A jogadora (cinco vezes eleita melhor jogadora pela Fifa!!!) foi escolhida pela sua história e exemplo de determinação e coragem. Merecidíssimo!

Na coletiva de anúncio, a atleta declarou estar muito honrada por ter recebido o convite e que quer garantir que mulheres de todo o mundo tenham as mesmas oportunidades que os homens para desenvolver seu potencial.  A Marta já tem histórico de colaboração com a ONU em um projeto com foco no empoderamento das mulheres, como parte do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento.

Ela se junta ao elenco de peso de embaixadoras da ONU Mulheres brasil, que conta com Camila Pitanga Juliana Paes, Kenia Mara e Tais Araújo.

 

Grande beijo,

Duda Buchmann

 

Olá, lindezas!

Finalmente o lançamento do ano tá acontecendo!!!

A Divas Bllack é uma marca querida and gaúcha com foco na pele negra (tem vários produtos para todo tipo de cor de pele, mas a base é nossaaaa!!! Rs). A gente tá cansada de não achar nosso tom de base por aí, né? Cansada de ficar cinza nas fotos (ou pior, pessoalmente mesmo), cansada de misturar 2, 3 ou até 4 cores para encontrar mais ou menos algo que fique legal no nosso rosto. Chega de tudo isso, a base Divas chegou!

Eu tenho um carinho gigantesco por elas e por isso vou compartilhar tudinho que sei delas por aqui com vocês através de tópicos das questões principais.

  • Matte ou luminosa:

Matte. Seca rápido, deixa a pele uniforme, mas viçosa.

  • Cobertura:

Média/alta.

  • Tons:

São 6 tons, do mais claro para o mais escuro: Rafaella, Rosane, Taís, Duda (),  Maria, Dandara.

  • Textura:

Cremosa e agradável.

  • Componentes comedogênicos:

Não possui componentes que bloqueiam os poros.

  • Rendimento:

Rende muito. Quantidade da saudosa moeda de 1 centavo (lembram?) é suficiente para o rosto inteiro.

  • Durabilidade:

Dura cerca de 6 horas.

  • Transferência:

Nula nas primeiras horas, produto adere bem na pele. Após terminar a durabilidade de 6 horas, transfere nas regiões oleosas.

  • Funciona em pele oleosa?

Muito. Inclusive funciona mais para peles mistas e oleosas. Apesar de não possuir ingredientes com ação anti oleosidade, os componentes matificantes absorvem o excesso de óleo da pele.

  • Craquela?

Não. Pele intacta do início ao fim.

  • Resistência ao calor:

Sim.

  • Acinzenta?

Não, a base não possui titânio na composição. Sem medo de chumbar a pele.

  • Fragrância:

Agradável.

  • Testa em animais?

Não. Inclusive a prática é proibida em São Paulo (onde a base é fabricada).

  • Estoura no flash?

Não (amém).

E tem bônus: Color adapt, logo que aplica a cor fica amarelada, alaranja ou muito mais clara que a sua pele, mas a cor se adapta em poucos minutos, sem medo.

Ficou com alguma dúvida? Escreva nos comentários, me manda um e-mail, entra em contato com a Divas através do insta @divasbllack ou e-mail também ❤

Grande beijo,

Duda Buchmann

 

Olá, lindezas!

Faz tempo que não dou dicas de livro por aqui, então vou aproveitar e dar algumas. Todas são de autores negros e recentes, então não será difícil de encontrá-los por aí. Quis fazer esse post para além de valorizar a literatura negra, tentar estimular a leitura de cada um (lembrete pra mim mesma também!).

1 – O que é lugar de fala – Djamila Ribeiro

Resultado de imagem para djamila fala

2 – Na minha pele – Lázaro Ramos

Resultado de imagem para na minha pele

3 – Esse cabelo – Djaimilia Pereira de Almeida

Resultado de imagem para esse cabelo livro

4 – Americanah – Chimamanda Ngozi

13525_gg

5 – Quando me descobri negra – Bianca Santana

Resultado de imagem para quando eu me descobri negra

6 – O ódio que você semeia – Angie Thomas

Resultado de imagem para o dia que voce semeia


Caso você não tenha algum, aproveite para atualizar a sua biblioteca com os descontos da Cupom Válido, basta acessar o www.cupomvalido.com.br, selecionar as livrarias e se jogar!


 

Boa leitura!

Duda Buchmann

Você aí criador de conteúdo, blogueirx e editor de sites, já teve dificuldades de encontrar imagens gratuitas (ou não) por aí?

sad oprah winfrey GIF

Pois é, eu também.

Dependendo do conteúdo que você produz, você deve sofrer com isso. É realmente bem complicado encontrar imagens de mulheres negras em sites abertos e com fonte da foto. Eu falo de mulheres, porque é isso que eu uso em meus textos, mas acredito que homens negros sejam escassos também.

Cansei de ver as mesmas imagens em vários posts/colunas/editoriais/etc, por falta de fotos com créditos reais.

É uma “bad” procurar imagens de pessoas e ter só pessoas de pele branca.

Procurando sobre o assunto encontrei esse vídeo curto e direto da ONG Desabafo Social:

 

Na pesquisa, também encontrei o banco de imagens Mulheres Invisíveis que conta com fotos de mulheres negras, gordas, lésbicas, crespas e transexuais, que pela pesquisa do projeto são maioria no Brasil e tem representatividade baixíssima na publicidade do país. Projeto genial, parabéns aos envolvidos ❤

Encontrei também o projeto maravilhoso Young, Gifted and Black que propõe uma série de fotos com mulheres negras em diferentes contextos (QUE SONHO!). Sabe o que inspirou o projeto? A música da rainha Nina Simone com mesmo título. A proposta é da publicitária Joana Mendes.

“Trabalho como redatora há mais de dez anos e vejo que quando comecei não existiam fotos que retratassem essas mulheres e nem a preocupação de colocar o negro em algum conteúdo. Ainda há barreiras hoje, muitas vezes a marca acha que vai ser feio ou que ‘essas pessoas jamais estariam fazendo isso ou aquilo’, mas já existe uma intenção”

Joana Mendes para Meio e Mensagem

ME ARREPIO SÓ DE LER ESSAS PALAVRAS, MINHA GENTE!

Finalmente alguém pensando em nós! O projeto está em fase de formulação e captação de recursos e terei o maior prazer do mundo em comunicar o lançamento dele por aqui.

 

Você fotografo, nos ajude nessa! Será divulgação de seu trabalho e um grande alívio pra quem produz conteúdo negro (que – ainda bem – são cada vez mais numerosos).

 

Grande beijo,

Duda Buchmann

(vamos ser amigos no instagram ❤ @negraecrespa)