É, amigos, as Olimpíadas acabaram 😦

E eu vejo essa edição como uma da MULHER 🏆 Mulheres fortes, guerreiras e lutadoras. Sendo assim, separei as mulheres negras que me chamaram a atenção para fazer uma retrospectiva rápida e simplória, nem perto do que elas representam, muitas são exemplo de redenção, superação e puro amor pelo esporte. Agora são mais do que nunca inspiração para muitas! E eu não poderia deixar de falar sobre elas.

karol-conka-mc-sofia-olimpiadas
Soffia e Karol

Logo na abertura tivemos MC Soffia e Karol Conká para afirmar a ascensão do rap feminino no Brasil. Eu sou fã e fiquei muito orgulhosa de ter elas como representantes nesse momento tão especial.

 

Mc Soffia – menina de 12 anos da periferia de São Paulo que canta rap a favor da cultura e beleza negra e contra preconceito social.

Karol Conká – principal figura feminina do rap brasileiro atualmente, tem fama internacional e tomba como ninguém!

 


Ficheiro:Fê garay.png
Fê Garay

No voleibol brasileiro temos representantes também. E “ô” esporte que torcemos, né? Infelizmente não rolou, mas continuamos inspiradas e muito orgulhosas dessas mulheres.

 

Fernanda Garay – negra, gaúcha e atleta, como não admirar? Uma das maiores pontuadoras da seleção.

Fabiana

Fabiana – capitã do time e bloqueadora poderosa. Infelizmente ela sofreu racismo nas quadras já, superou e espero mesmo que isso nunca mais ocorra 😦

Juciely

Juciely – outra bloqueadora maravilhosa, tem muita raça.

Lindas e guerreiras as nossas representantes do vôlei nessas Olimpíadas! Torci demais por elas  com certeza dias melhores virão logo logo. Parabéns, meninas! Vocês arrasam!

 


Simone

Simone Manuel – americana, 20 anos. Primeira negra a conquistar um ouro olímpico na natação 👏👏👏 Em suas falas em relação a isso, exaltou que gostaria que não fosse exceção e que mais negras pudessem chegar ao lugar que ela chegou. Boa, Simone!

 

d.png
Teresa

Teresa Almeida – goleira da Angola. Seu apelido Bá tem origem em Xica da Silva (novela brasileira) e tem orgulho do ser gordinha. Além de carismática, ajudou a Angola a conquistar o melhor resultado na seleção feminina de handebol.

Simone

 

Simone Biles – um fenômeno da ginástica artística e brilhou nessas Olimpíadas com 5 medalhas! Um espetáculo! Tem uma carreira promissora e ainda gostou da nossa Flavinha ❤

 

Rebeca

Rebeca Andrade – tão lindo ver a Rebeca flutuando! Assim como todas as ginastas do Brasil que brilharam demais! Escolhi a Rebeca porque ela participou de mais modalidades, mas todas são espetaculares 🙂 A Rebeca é outra atleta com futuro promissor e se apresentou com Beyoncé, puro amor!

Elaine

Elaine Thompson – a Usain Bolt feminina da Jamaica. Venceu duas provas de velocidade e sempre muito estilosa (deu pra perceber na foto, não é?). Com uma lesão, quase que ela não vem. Por sorte, conseguiu vir e iluminar as arenas de atletismo.

 

Formiga
Formiga

Peças essenciais da nossa amada salve salve seleção feminina de futebol são negras. As mais experientes e que brilham a anos no esporte.

Formiga – a única jogadora a participar de cinco jogos Olímpicos 👏

Marta
Marta

Marta – difícil cogitar em pensar em futebol sem vir a imagem da Marta em nossa cabeça. É uma rainha! Melhor jogadora do mundo e a humildade em pessoa.

Bárbara

Mas também tem a nossa amada goleira que nos salvou de algumas situações tensas dos últimos dias.

Bárbara – como já falei, a atuação dela foi muito importante. Ela é uma inspiração de garra, sem dúvidas!


Caster

Caster Semenya – teve uma redenção nas pistas. Depois de ter que provar que é mulher (oi? Infelizmente é real, mas é passado), venceu a prova de 800m. Ainda sofre preconceitos, principalmente por suas adversárias, mas não há dúvidas de que é uma grande mulher e que terá muitas vitórias em sua vida!

 

 


E a última mas não menos importante (mesmo!):

Rafaela Silva – outra história de redenção completa. Ela respondeu o racismo sofrido nas Olimpíadas de 2012 com uma bela medalha de ouro nessa edição. Vibrei muito e torço demais por ela! Parabéns, Rafa!


E essas são só ALGUMAS representantes! Ainda bem tivemos muitas e que continue assim. Parabéns, meninas! Pela representatividade, esforço, fé, força de vontade e tudo mais. Vocês são nossas novas ídolas!

Espero que tenham gostado desse post olímpico.

 

Grande beijo,

Duda @negraecrespa

Olá, lindezas!

Fonte: Gelédes

Hoje é um dia especial no calendário internacional. Dia 25 de julho é marcado por um dia de representatividade feminina negra, dia da mulher negra latino-americana e caribenha. Essa data é comemorada desde 1992 e foi definida no 1º Encontro de Mulheres Afro-latino-americanas e Afro-caribenhas.

Aqui no Brasil, essa data, desde 2014 tem ainda mais motivos para ser lembrada. Desde 2014, há a Lei nº 12.987, que define 25 de julho o Dia Nacional de Tereza Banguela e da Mulher Negra. Tereza é considerada uma heroína negra. Foi uma líder quilombola que viveu durante o século 18 no Mato Grosso. Viúva, Tereza se tornou a líder do Quilombo de Quariterê, resistindo à escravidão por mais de vinte anos. Essa data faz homenagem também a Antonieta de Barros, Benedita da Silva, Leci Brandão, Chiquinha Gonzaga, Ruth de Souza, Elisa Lucinda, Luiza Mahin, Lélia Gonzalez, Dandara, Carolina Maria de Jesus, Elza Soares, entre outras.

Essa data tão especial é então um dia para refletir sobre a mulher negra. Somos as menos representadas em qualquer local, índice alto de baixa escolaridade, baixo salário, condições precárias de trabalho e aquelas que se destacam, além de poucas, abdicam de grande parte de sua vida para atingir objetivos (Secretaria Municipal de Políticas Para as Mulheres, São Paulo).

A desvantagem é grande, mas estamos lutando constantemente para essa mudança nos campos de trabalho e ainda mais na consciência de cada um. É notável que a representatividade feminina negra esta crescendo, pouco a pouco, mas cada vitória deve ser comemorada, valorizada e expandida.

Espero que tenham gostado de saber um pouco mais sobre esse dia especial para nós.

Fonte principal: 25 de julho, Dia Internacional da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha – Geledés

Grande beijo,

Duda @negraecrespa

Olá, lindezas!

Vamos falar de mulher negra brilhando no esporte?

Não poderia ser outra pessoa no momento que não fosse Serena Williams 🎾

abc news
Fonte: ABC News

Serena Jameka Ross Evelyn Williams é uma americana de 35 anos e a número 1 do tênis feminino mundial há 3 anos consecutivos!

Serena Williams Headshot
Fonte: ABC News

Ela é a maior campeã em Grand Slam quadra aberta (junto da alemã Steffi Graf), são 35 vitórias no total, sendo 20 simples, 13 de duplas e 2 de duplas mistas. Foi 5 vezes vencedora do WTA Tour Championship e já ganhou quatro medalhas de ouro em Jogos Olímpicos (1 de simples e 3 de duplas). A mídia apelidou Serena de RAINHA DAS QUADRAS Tenista

Seu primeiro jogo profissional foi em 1995. É a atleta que mais ganhou prêmios em dinheiro na carreira toda. Já escreVeu dois livros, um deles em parceria com a irmã (também jogadora de tênis) e outro autobiográfico chamado ‘On the Line’.

Já participou até da série Os Simpsons, ao lado da irmã, uma das séries mais famosas do mundo!

vlcsnap-2014-03-16-23h10m58s239
Fonte: The Urban Daily

Serena também tem uma fundação com seu nome, a Serena Williams Foundation, que promove o acesso à educação de qualidade para crianças cujas famílias foram vítimas de crimes violentos. Além disso, participou de diversas campanhas e fez muitas doações para as regiões do mundo que recentemente sofreram grandes desastres naturais, como o terremoto no Haiti.

Ou seja:  💚💚💚

serena
Fonte: @serenawilliams

~Site oficial da Serena: http://serenawilliams.com/

Por mais mulheres negras poderosas como Serena!!!

 

Grande beijo,

Duda @negraecrespa

Olá, lindezas!

Tô amando escrever sobre negras que fazem parte da nossa história! E hoje eu vou falar da mais recente mulher a entrar nessa categoria. Em tempos de ascensão do feminismo e liberdade capilar e corporal, uma NEGRA E CRESPA vencer uma grande etapa do concurso de beleza mais importante do mundo é emocionante. E isso aconteceu no último sábado, quando Sabrina de Paiva se tornou Miss São Paulo 2016.

geledes

Quando vi a notícia, um calor aqueceu meu coração! Tão bom saber que a beleza negra está sendo mais valorizada e, acreditem, só sendo negra para saber o quanto essa representatividade é importante. Parece bobagem para quem vê de fora, mas para nós é uma alegria e conquista sem tamanho.

Quanto mais aparece a mulher negra em todos os lugares, mas elas (nós) iremos aceitar o que são. Ver que estão integradas, que são aceitas, que são lindas sendo elas mesmas. Porque não se ver é não se sentir representada, é como se estivessem apagadas. Afinal, não é estranho termos mais da metade da população negra no país e mesmo assim sentirmos falta disso?

A Sabrina, além de tudo isso já passou pela transição capilar!!! Tem ideia do quanto isso é importante para tantas mulheres??? Que acham que se assumiram seus cachos vão ficar feias. Que cachos não combina com elas. Que não podem trabalhar em seu emprego por causa de seu cabelo. Que aceitam qualquer tipo de opressão por acharem que merecem.

Gente, a mulher mais bela de São Paulo tem um black lindo!

Mas, enfim. Quem é a nova Miss São Paulo?

Sabrina de Paiva que é paulista, estudante de Relações Públicas e tem 20 anos, é a Miss da cidade de Caconde e no último sábado (28) foi coroada Miss do Estado de São Paulo.

geledes1.jpg

Quanto ao concurso, a Sabrina falou bonito:

“Estar aqui é representatividade. Quero que as mulheres, as meninas, as crianças negras me vejam e tenham inspiração. Meu foco também é esse, mostrar que a cultura negra é linda, nosso nariz, nossa boca e nosso cabelo afro são maravilhosos. Meu sonho sempre foi representar a minha cultura, e hoje consegui”. Palavras de Sabrina ao site EGO.

E ela é inspiração para todas nós.

ALERTA DE TRANSIÇÃO CAPILAR!!!

Aqui, com as fotos da própria Sabrina no instagram @sabrinadpaiva_oficial:

Sem título.jpg

Se ela pode, você também pode!!!

Se está na dúvida quanto a encarar a transição capilar, acho que ela acabou agora mesmo, não é? kkk força, linda! Eu e mais um montão de gente estamos aqui para ajudar!

~ Apenas uma mulher negra venceu o Miss Brasil na história do concurso, a Deise Nunes (gaúcha linda!) em 1986. Tá na hora de termos outra negra com essa coroa, não é mesmo?

~ Deixando claro, sou contra concurso de beleza, acho que excluem a mulher “fora dos padrões” e podem influenciar nessa busca pela perfeição louca em que as mulheres vivem. Mas fatos como esses não podem ser ignorados e que ele possa ser um início de reestruturação desse tipo de concurso.

Fonte fotos: Geledes

 

Grande beijo,

Duda @negraecrespa

 

Olá, lindezas!

Hoje é um dia importante na política, mas também é importante por ser o aniversário de 95 anos de uma pessoa essencial para a história recente negra do Brasil: Ruth Pinto de Souza.

Ruth-de-Souza.-Luiz-Paulo-Lima.011.jpg

A Ruth é uma atriz brasileira nascida no Rio de Janeiro e reconhecida tanto aqui quanto fora do país, atuou em teatro, cinema e novelas. Abriu caminho para muitos atores negros no Brasil.

Sua história na arte começou na sua juventude, com seu integração no grupo de teatro Cia Experimental do Negro do Rio. Foi a primeira atriz negra a subir no palco do Teatro Municipal do Rio de Janeiro com a peça O Imperador Jones, na década de 40. Estudou teatro nos Estados Unidos por conta de uma bolsa recebida e alguns anos depois estreou no cinema. Na década de 50, começou a atuar em novelas. Em 1953, por seu papel em Sinhá Moça, foi a primeira brasileira a concorrer o Leão de Ouro, Festival de Veneza. Em 1968 se torna a primeira protagonista negra em uma novela em A Cabana do Pai Tomás. Sua última participação televisiva foi na série Na Forma da Lei em 2010, na Globo, emissora que trabalha por quase 40 anos.

globo__01 Ruth de Souza em Passos dos Ventos 1968 TV Globo__gallefull.jpg

Sua carreira conta com mais de 30 filmes, mais de 25 peças de teatro e cerca de 30 novelas. Recebeu dois Prêmios Saci, a Comenda do Grau de Oficial da Ordem do Rio Branco e o prêmio de Melhor Atriz no Festival de Gramado de 2004.

Depoimento da blogueira: Infelizmente assisti poucas coisas dela na televisão, mas a Ruth participou da minha novela favorita da vida: O Clone. Mas, felizmente, hoje sei da importância e valor que a Ruth tem pra todas nós, mulheres negras. E mesmo com tantos anos de vida, ela só está fora das telinhas por questão de saúde, mas sente falta de trabalhar.

A história de Ruth de Souza é contada no livro Uma Estrela Negra no Teatro Brasileiro: Relações Raciais e de Gênero nas Memórias de Ruth de Souza, de autoria de Júlio Cláudio da Silva. ” As atrizes negras que estão fazendo sucesso hoje, de certa forma, são herdeiras de Ruth. Sem dúvida alguma, ela abriu espaço para que a arte dramática tivesse outra cor” diz o autor, Júlio Cláudio.

32fh6-ruthdesouza
Capa do livro Uma Estrela Negra no Teatro Brasileiro, 2015

“A carreira do negro é muito mais difícil porque ganha menos e faz sempre o mesmo papel. Mas, de uns tempos para cá, melhorou, tem quatro ou cinco atores negros em cada novela. Antigamente, tinha um. A exceção é quando era uma novela que falava dos escravos. Contribuí para mostrar que o negro podia ser ator. Mas, particularmente, eu não posso me queixar. Pelas mãos da Janete Clair, fiz professora, pianista, juíza, enfim, tive a oportunidade de interpretar todo tipo de personagem. E nunca parei de trabalhar”, Ruth de Souza (2015).

ruth

 

~Fan page: Ruth de Souza

~Conheça o primeiro “#Personalidade” com Chimamanda Adichie, clique aqui.

Fonte das imagens: assistebrasil.com.br | memoriaglobo.globo.com | cinemaparasempreporandreacursino.blogspot.com | cacilda.folha.blog.uol.com.br

 

Grande beijo,

Duda @negraecrespa